Sobre as pequenas coisas

Eu gosto das coisas pequenas. Dos pequenos gestos. Dos pequenos jeitos. Das pequenas manias.

Quem não fica quieto e observa o mundo em volta de vez em quando perde essas paradas e isso não é legal. A não ser que você não ligue pra essas coisas, é claro, mas daí você pode cair no meu conceito, foi mal.

O que seria do mundo sem os pequenos trejeitos? Uma frase sempre usada é aquela que diz “que graça teríamos se fossemos todos iguais”, sabe? Mas eu vou além, porque assim é mais legal, e digo: que graça teríamos sem as manias, os TOCs sagrados de cada um, os jeitos irritantes?

Claro que o que eu acho adorável nas pessoas hoje pode ser o que vai me fazer xingar as famílias inteiras delas depois, mas quem se importa? O agora é que importa. Eu acho…

Os pequenos detalhes sempre ficam mais na memória que os grandes feitos ou os grandes acontecimentos. Os visuais principalmente. Imagens são sempre muito facilmente graváveis. Um snapshot de um momento, de uma cena. Sons e cheiros funcionam como gatilhos de memórias, mas as imagens, elas vem sozinhas, sem precisar de um catalisador específico. Como aquele sorriso genial depois de uma piada ou depois de algo inesperado.

As pequenas manias e jeitos também são coisas legais de se ter. Você não tem um? Arranje. Sério. Pode ser destruir apoiadores de copos até eles virarem pequenos pedaços de papelão na mesa do bar. Pode ser ficar mexendo na barba, quem sabe até arrancar algumas? Pode ser bater no coleguinha quando ver um fusca azul. Pode ser até bater os dentes durante o sono. Isso faz a diferença.

Eu por exemplo faço duas coisas:

1. Playlists. É isso ai. Curto organização e não nego. Faço playlists e tenho meio TOC com elas. Não gosto de sair de uma sem terminar ela antes. A que está rolando agora é meio infinita e tem 16 mil e tantas músicas. To perto das 2 mil e contando. Vai demorar pra terminar? Sim. Vai tocar músicas ruins pra aquele dia e eu vou pular? Sim. Eu me importo? Não. Ihuuuu!!!

TOC musical é isso aí!

2. Bolinhas de guardanapo. É bonito? Não. É ecológico? Nope. Mas me contenta? Sim, senhor. Alguém talvez ache legal e meio gracioso, vai saber.

Bolinhas rules!

Advertisements

10 responses to “Sobre as pequenas coisas

  1. Não concordo que os pequenos detalhes sempre ficam mais na memória e acho extremamente complicado dizer que “o agora é que importa”, éfe. Imediatismo sucks and it’s going to came back and bite you in the ass… Mas sim, as pequenas coisas são importantes e acho que dão mais vida a nossa personalidade, sei lá… Uma pessoa que não expressa essas pequenas manias ou características fica muito “plana”. E é isso aí.

  2. Ah, mas as diferenças é que são legais, não, Isabel? Now é mais legal, cara. Por enquanto, amanhã pode não ser mais… =)

  3. Eu gosto dos fuscas azuis.
    E acho graça nas bolinhas de guardanapo e nos porta copos transformados em migalhas! =)
    Bjs

  4. A dona Cici sempre diz “suas qualidades estão nos seus defeitos, e vice versa”. Eu já usei isso em vários momentos da vida… mas tô com a maior preguiça de discorrer sobre.

  5. lembrei agora q eu esqueci de dizer q adoro tudo mini!

    hahahaha

    volta, F!

  6. Sou bem assim e cheia de manias, TOC´s… mais manias?
    Acredito muuuito que os pequenos e mínimos detalhes fazem diferenças incrivelmente absurdas e muita gente nem percebe.
    Memórias, seja por fotos, objetos, dejavus ou sinestias, sempre aparecem!

  7. sinestesias*

  8. Também sou daqueles que se prendem aos pequenos detalhes. Anos podem se passar, e eu vou me lembrar dos tiques nervosos, dos pequenos defeitos e das mais estúpidas manias. Talvez sejam estas as coisas que nos façam discernir um do outro. Talvez…

  9. Memórias visuais realmente são as melhores, sempre que volto nos lugares onde eu acredito que tenha havido um momento único , lembro de cada detalhe como se estivesse revivendo aquilo. É mágico! E sim, os detalhes e manias de uma pessoa fazem a diferença , o mundão tá aí abarrotado de gente chata e parecida.. então porque não tentar fazer algo diferenciado?!

    E efe , se Duchamp levou um mictório pra uma galeria de arte e aquilo foi considerado arte, porque suas bolinhas de guardanapo não seria algo artístico também?! x)

    beeijos!

  10. Bolinha de papel é um classico meu !
    E essa “mania” de observar, no meu caso, vai além. Eu imagino a historia da pessoa, pra onde ela estará indo, por que está indo, pra QUEM está indo.
    Se a pessoa tiver algo na feição que me chame atenção então.. haha *-*

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s