o queijo

meu pai entrou há um tempo na vibe de estudar a história de são paulo. Começou juntando umas fotografias, comprou uns livros, foi até a estação de trem de Paranapiacaba algumas vezes. Contava pra todo mundo, estudava. Depois, trouxe pra São Paulo mesmo, nos finais de semana em que não iam pra Ibiúna, escolhia um programa desses de turismo revival aqui em São Paulo.  Duas semanas atrás, tava lá no mosteiro de São Bento, que abriu umas áreas meio secretas para visitação.

eu, parte terapia, acabo nunca indo, embora ache que devesse.

Nessa semana do queijo, ele foi ao mercado municipal com minha mãe, minha vó e meu irmão. Deram um rolê gigante, comeram por lá, ficaram estressados com a fila das barracas e me ligaram pra saber se queria comida. Meu pai fez duas compras principais: um pacote de castanhas de caju, que ele adora, e um queijo gigante. Sabe aquelas peças enormes, pesadas e caras que ficam junto com os acepipes no bar? Você arranca um pedaço por cima, quase cavando. Trouxe todo feliz o queijo fedorento, já com a “tampa” aberta e até uma cordinha instalada pra facilitar a abertura. Tava mó animado com o queijo, que virou gozação. Meu irmão pegou a faca pra escrever a data (estamos confiantes que vai demorar pra acabar) e minha mãe fez piadinhas com o preço. É tipo a lixeira milionária que ele comprou e depois desistiu.

fato é que o queijo tá lá perto da área de serviço, do lado da geladeira, fedendo e rendendo piada. Mas é mó gostoso.

Do outro lado da cozinha fica a máquina de café. Eles acabaram de comprar mais cápsulas de nespresso. Meu pai foi até a loja pela primeira vez, e se atrapalhou lá entre os vários blends disponíveis, sem saber direito o que gosta. Meu irmão ficou se gabando que salvou a compra, porque só ele sabia o cpf da minha mãe para resgatar o cadastro. “Pra que cadastro, se eles não me dão nenhum benefício?””a livraria cultura pede cadastro, mas me dão descontos a cada 100 reais que gasto”. Trouxeram blends variados, um pouco de cada. Estabelecemos que vamos, a partir de agora, deixar um caderninho do lado da máquina de café para registrar as impressões de cada um e descobrir do que a gente gosta mais.

Eu, que sempre gostei mais de coca cola, já disse que prefiro os mais torrados. mas vou continuar anotando no caderninho.

——-

eu e a bruna andamos conversando sobre queijo por email.

mudei um pouco o que escrevi e trouxe pra cá.

Advertisements

2 responses to “o queijo

  1. quando vamos conhecer o queijo? ele é tipo o wilson do náufrago…

  2. isso super merecia um post!

    ficou devendo a top lista dos cafés e o status do queijo…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s