O desapego é o sossego?

Já fui mais apegado às coisas. Lembro que ficava preocupado quando meu irmão ia alugar fita de video-game. Falava pra ele deixar pra ir outro dia, pra tomar cuidado e tudo o mais. Puta bichisse. Ficava na bad quando eu quebrava um brinquedo. Ficava sentido com as pessoas.

Poderia culpar o começo da escalada do desapego no âmago do meu ser ao fato de que quando era pequeno eu ficava sozinho em casa a maior parte do tempo, jogando bola sozinho dentro dela, inventando esportes com nomes pitorescos como “futebol-campo-torto” (sim, era esse o nome e sim, eu era um craque na bagaça! high five pra mim mesmo!), mas na real acho que não tem muito a ver com isso não.

Só comecei a ver que ok, meu irmão podia e voltar vivo da locadora. E podia acontecer de quebrar o brinquedo, mesmo que não desse pra comprar outro. E que jogar um futebolzinho de verdade talvez fosse mais legal que os esportes inventados.

O desapego como forma de vida é uma boa maneira de encarar o mundo. É um mecanismo de defesa muito dos eficazes, assim como o humor sarcástico ou a vadiagem.

Mas até que ponto o desapego é legal e quando ele se torna só uma coisa idiota? Só uma mera projeção de despreocupação extrema?

Não vejo problema nas projeções e até defendo que todos somos projetores numa medida ou em outra. Talvez seja possível ficar tanto projetando alguma coisa que no fim a pessoa acaba por tomar como verdade aquilo. É difícil enxergar a linha que separa aquilo que somos daquilo que queremos que as pessoam achem que somos.

Talvez os tempos hoje sejam assim, a Era dos Despreocupados, a Era do Desapego.

E não estou dizendo que isso seja ruim. Nem bom. É só assim.

Texto: F. Garrido

Advertisements

4 responses to “O desapego é o sossego?

  1. Olha eu aqui de novo.

    Éfe, o que você entende por projetar? Pq pelo que eu entendo, acho que não tem a ver com o que você tá falando. Todo mundo projeta. Projetamos coisas que são nossas e que não gostamos, por exemplo, achamos que o outro que é assim, mas sem consciência de que fazemos isso. Agora, pq você acha que isso tem a ver com o desapego? Acho que o que você quis dizer é que queremos passar uma imagem, né? Acho que independente da imagem que passamos, nunca vamos estar verdadeiramente satisfeitos pq, mesmo considerando que somos desapegados a tudo, nunca seremos desapegados da nossa imagem. Para mim, somos todos pseudo-desapegados.

  2. Ah Isabel, assim você me quebra as pernas. Queremos passar uma imagem, logo a projetamos. Pode ser só uma questão de nomenclatura. Ah, ok, fuck.

  3. sorry cara, sou chata…

  4. Concordo com a Bel. Somos todos pseudo-desapegados. Eu por exemplo, acho a idéia do desapego linda. É tipo o sexo casual. å proposta é bonita, parece funcionar perfeiatemente e resolver todos os problemas MAAAAS comigo não funciona. Eu não consigo. Eu penso demais. Nem que eu esteja guardando meu pensamento pra mim, e mostrando pros outros que eu sou desapegada, aqui, dentro de mim, eu não sou. Não da. Acho que todo mundo tenta ser desapegado das coisas pra ser mais legal, parecer uma pessoa mais cool e tudo mais…Mas isso não existe. Sempre tem uma pontinha de dor no coração quando você quebra um brinquedo novo e não vai poder comprar outro.
    Sabe quando aquele seu amigo mão de alface vai na sua casa e derruba suco no seu sofá novinho? Ele pede mil desculpas, se sente super mal e você diz: magina..não tem problema! [mas no fundo no fundo vc ta puto pq ele estragou o sofá novo da sua casa sabe?] Enfim…É legal ser praticar o desapego e tal mas o homem é muito material. Acho praticamente impossível.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s