It’s my birthday too, yeah.

scrapmarilia2

Esse foi um dos primeiros scraps que recebi de parabéns. Deu meia noite, já é seu aniversário. Gosto do noção de tempo em que o amanhã é só depois que eu durmo e acordo. Em tempos de orkuts, é ainda mais fácil aparecer uma mensagem te parabenizando por mais um ano vivo logo nos primeiros minutos do dia. Sempre preferi o “feliz aniversário” ao parabéns. O scrap dela, com um toque de gênio, desenvolve esse conceito aí e joga até magia no seu grande dia. Brigado, Marília, achei muito bom!

Foi mal por ter que discordar de algumas coisas. Não vivo tanto essa magia que você disse e nem acho MEGA LEGAL. Não que seja uma daqueles loucos que preferem se enfiar no quarto e torcem logo pro dia passar, não odeio fazer aniversário, mas tá bem longe de ser mega legal. Mega legal é… strogonoff com batata palha. Vou dormir daqui a pouco e fico com um pequeno “oh fuck” em mente. Pra jogar a frescura logo: não gosto de atender telefonemas, fico sem graça em insistir no obrigado, obrigado, obrigado e… só. É um dia de foco extra em você.

Um outra inconveniência é o trampo de promoter que cai nas suas costas. E ai, vai fazer alguma coisa? Se demoro mil anos pra escolher o tipo de cerdas que quero para a minha próxima escova de dentes (e cor, e tamanho, e formato – fio dental com ou sem cera? menta? super poder 02?), imagina decidir um evento. Marília, quer pegar esse freela? E saber quem convida, que horas marca, quem vai mesmo; um pergunta do outro, um critica o som, outro critica a marca da cerveja.  Misturar grupos de amigos nunca dá certo. Você mesmo, Marília, não foi com a cara do Filipe, que é brother. E olha que não são grupos como bancários x pagodeiros. Mais o estresse de ficar um pouquinho de cada ponta da mesa, certificando-se que todo mundo tá se divertindo. Esse ainda é o passo dois, quando você já passou da fase “será que ninguém vem?”.

Por isso, não costumo arrumar grandes coisas no meu aniversário. Fora o dia em que fiquei escondido embaixo da mesa com medo de um palhaço estúpido, não lembro de histórias monumentais também. Só dos outros. O F. Garrido me contou agora um dia que um tio morreu no dia do seu aniversário.  E Luciano já faltou ao próprio churrasco de comemoração porque nem sabia que era em sua homenagem.

Tem lá as brincadeirinhas com o número 24, dessas que você escuta desde pequeno, mas fazer o que? Vamo aí, aniversário, amanhã somos nozes, só vendo qual é a dessa magia. Acho que o negócio é que sou obrigado a fazer um papel que não gosto. Seja no campo dos organizações ou dos obrigados. Como jogar na meia direita, se sou atacante? Mas todo mundo quer ir pro jogo, e não ficar esquentando o banco de reservas. Marília, brigado pelas felicitações mais uma vez, aparece a noite, chama o Vitor. Beijo

Advertisements

4 responses to “It’s my birthday too, yeah.

  1. a primeira imagem do finazzi realmente é de cuzão… mas ele é brother, marina! acredite!

  2. miltinho, é marília, hahahaha.
    não sou cuzão. sou brother!

  3. e o mais curioso desse história é que, diferente do miltinho – que me achou cuzão quando me conheceu – e de qualquer outra pessoa que tem uma impressão errada sobre a outra quando a conhece, a Marília não foi com a minha cara na segunda vez que me viu. Na primeira – aniversário do Oswaldo – a gente conversou e não teve nenhum problema. Vai entender… Marília, vc é mó legal!

  4. Mas um post que poderia perfeitamente ter sido escrito por mim. Exceto a referencia ao número 24, claro.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s