Metaaaal!

Eu gosto de metal. E gosto muito de Iron Maiden. Eu sempre digo que tem 3 shows que eu tinha que ver na vida e o do Iron era o último que faltava. Não falta mais.

Domingão de chuva e sol no cu do mundo é uma maravilha. Eu reclamo de morar na ZL mas Interlagos ganha disparado no quesito “moro mais longe que todo mundo”. Eu sempre pensei que lá fosse um bairro bacana e tal, mas que nada. É tão escroto quanto qualquer outro bairro, com a diferença que é longe pra cacete, tão longe que o tempo por lá é diferente. Tipo que nem São Bernardo. Só que ainda em São Paulo. É bizarro.

Admito que eu pensei que tudo seria mil vezes pior do que de fato foi. O masoquismo de ir num show aqui no Brasil eu nem preciso comentar. Quase 100 reais pra pegar uma fila que não acabava nunca e demorar mais de 2 horas pra entrar pra descobrir que o local estava abarrotado de barro e o som estava um lixo? Só gostando muito da parada mesmo. Mas eu admito que eu me sinto muito como o Bart num episódio de Simpsons em que a Lisa liga um muffin numa parada que dá choque, como parte de um experimento psicológico. E o Bart mesmo sempre tomando o choque sempre tenta pegar o muffin.

Ir num show desse porte ou ir num estádio por aqui é mais ou menos. “Dãaa!” acompanhado de um choque… over and over…

Mas ok, até que valeu a pena. Considerando que diz a lenda que tinha quase 100 mil pessoas no local, penso que poderia ter sido bem pior. Pelo menos não choveu e não tinha os metaleiros-cabeludos-sujos-mãodefogo me cercando e jogando suor em mim. Aliás, tinha de tudo nessa porra: desde os headbangers true, daqueles que só usam uma jaqueta na vida e é aquela que tem todos os pins e logos das bandas que ele já viu ao vivo, até famílias completas com pai do metal, mão dona-de-casa, filha patricinha, filho rebelde e avó revirginada. Uma verdadeira torre de Babel.

A única coisa tosca de show foi um mano na minha frente que fumava um baseado gigante, que durou tipo umas 6 músicas, e que fedia mais que sei lá o que. Não o cara, mas o baseado. Era um cheiro de maconha normal misturado com algo mais. Sabe aquelas sacolas flamejantes com merda dentro que sempre colocam na porta do diretor da escola nos filmes de highschool americanos? Eu não sei que cheiro aquilo tem. Mas imagino que se jogassem maconha junto da merda sairia um cheiro parecido com o do baseado do cara de hoje.

Isso sim é ser do mal: “Eu fumo maconha com merda e não me importo com o que você pensa, mermão! Meeeettttaaaaaallll!!”

Lama + Felipão = Pé-de-argila

Lama + Felipão = Pé-de-argila

Mão-de-Fogo, porra!

Mão-de-Fogo, porra!

Texto: F. Garrido

Ao som de Somewhere In Time (Iron Maiden)

Advertisements

2 responses to “Metaaaal!

  1. Mud Maiden rulez!

    E RIP pro meu all star preto, eheheh! Serviu bem ao seu prosósito enquanto esteve entre nós e limpo, rsrs.

  2. Pingback: Efe, cara, foi mal, caguei pro Iron. « Ideia sem hífen

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s